Cidade

Aumenta o valor máximo de moradias no Minha Casa, Minha Vida

12/07/2011

O programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, teve os valores das moradias reajustados. Famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00 teve o aumento pela primeira vez desde o início do projeto, em 2009, na quinta-feira.

Os Ajustes do Programa Minha Casa, Minha Vida

As regiões metropolitanas do Estado de São Paulo, as cidades de Jundiaí, São José dos Campos, Jacareí e no Distrito Federal, os valores foram fixados em R$ 65 mil para apartamentos e R$ 63 mil para casas.

Nos outros municípios do Estado paulista, para quem tem renda baixíssima, o valor máximo dos imóveis ficará em R$ 57 mil tanto para casas quanto para apartamentos, a exceção se aplica à municípios que tenham entre 20 mil e 50 mil habitantes, no qual o valor será de R$ 53 mil.

Minha casa Minha Vida 2

Os valores no Rio de Janeiro será maior. Os imóveis que são localizados na capital, para essa mesma faixa de renda, terão valor de até R$ 63 mil para apartamentos e R$ 60 mil para casas. Nas demais cidades foi fixado um valor de R$ 55 mil, com exceção daquelas com 20 mil à 50 mil habitantes, no qual terá um valor de R$51 mil.

O valor médio das habitações para famílias da primeira faixa de renda atendida pelo Minha Casa, Minha Vida, passou de 42 mil para 55 mil com estes ajustes.

Quantas casas disponíveis para o Programa Minha Casa, Minha Vida?

No mês passado o Governo Federal lançou oficialmente a segunda fase do Minha Casa, Minha Vida, que tem previsão de contratação de ao menos 2 milhões de moradias até 2014. Famílias com renda de até 1.600,00/mês terão deste total, 60% das unidades.

Para essa faixa de renda, as contratações estavam paralisadas no aguardo de novos valores. Os valores dos custos de construção e o ajuste nas faixas de renda foi anunciado junto com a segunda fase do projeto.

Fonte: Economia IG.

1 Comentário

Tem alguma sugestão? Deixe seu comentário!